Posts Tagged ossos

Dentro da coluna vertebral

A coluna vertebral possui a função principal de sustentar o corpo e o crânio, auxiliando na manutenção da postura vertical. Além de conservar o equilíbrio do corpo, a coluna vertebral possibilita a flexibilidade de movimentos, por isso é possível que a cabeça realize giros sobre o pescoço. Outra importante característica da coluna vertebral é a proteção que faz dos órgãos internos como o coração, os pulmões entre outros, também protege a medula espinhal.

Constitui-se de pequenos ossos cilíndricos denominados de vértebras, geralmente em uma pessoas existe cerca de 33 vértebras dispostas de forma vertical. Cada vértebra é separada pelo disco intervertebral, um tipo de almofada de cartilagem. As vértebras são organizadas de uma forma que um túnel seja criado entre as mesmas a partir do espaço arredondado encontrada em sua articulação.

coluna

A coluna vertebral  é composta de várias curvaturas.

Este túnel é chamado canal medular pois abriga a medula espinhal, que na verdade é um conjunto repleto de finas fibras nervosas que se estendem do cérebro até o canal espinhal. Este local é repleto de líquido cefalorraquidiano, que serve para proteger os nervos, mensageiros do cérebro proporcional as inúmeras partes do corpo.

Os músculos e os ligamentos estão ligados as diferentes projeções situadas nas vértebras, as quais são apresentadas por básicos elementos:

  • Corpo – maior parte da vértebra, único e mediano voltado para frente é representado por um segmento cilindro que possui a função de sustentação;
  • Processo Espinhoso – parte do arco ósseo que se situa posteriormente e medialmente, capaz de auxiliar na movimentação;
  • Processo Transverso – prolongamento duplo lateral que se projetam de forma transversal, também auxilia na movimentação;
  • Processos Articulares – quatro saliências divididas em dois superiores e dois inferiores que tem a função de obstrução destinadas a promover a articulação das vértebras.
  • Lâminas – dispostas nos lados esquerdo e direito, que ligam o processo espinhoso ao processo transverso como forma de proteção.
  • Pedículos – partes estreitadas que ligam o processo transverso ao corpo vertebral, também possui função de proteção.
  • Forame Vertebral – disposto no lado posterior do corpo, limita-se a parte anterior do arco ósseo protegendo-o.

A coluna vertebral ainda é composta de várias curvaturas fisiologicamente consideradas normais dentro do padrão:

  • cervical, convexa ventralmente: Lordose;
  • torácica, côncava ventralmente: Cifose;
  • lombar, convexa ventralmente: Lordose;
  • pélvica, côncava ventralmente: Cifose.

Quando surge um aumento nessas curvaturas, é sinal de problemas na coluna, podendo ser proveniente de patologias como a Hipercifose, Hiperlordose ou Escoliose.


Ligamentos da coluna vertebral e suas funções

A coluna vertebral também conhecida como espinha dorsal, é na verdade o eixo ósseo localizada no dorso do corpo, capaz de amortecer, sustentar e conduz apropriadamente o peso corporal. Além disso, promove a flexibilidade necessária para que os membros se movimentem, e ao mesmo tempo que protege a medula espinhal.

A coluna vertebral constitui de um esterno, as costelas e o tórax ósseo, fundamentais para os movimentos respiratórios. É ainda formada por de 33 vértebras, divididas em quatro partes – torácica, lombar cervical, e sacro-coccígea. Nessas regiões se encontram 7 vértebras cervicais, 12 torácicas, 5 lombares, 5 sacrais e cerca de 4 coccígeas.

As articulações da Coluna Vertebral subdividem em dois sistemas formados por ligamentos, estruturas fibrosas que possuem a função associada à estabilidade profunda das vértebras em sua posição natural.

- entre os corpos vertebrais:

  • Ligamento longitudinal anterior – possui uma forma laminar, porém, se inicia na base do crânio e se estende até o sacro. Sua função é reforçar a estabilidade da coluna na sua porção anterior, estabilizando-a desde a articulação atlantoccipital até a transição lombo sacro.
  • Ligamento longitudinal posterior – é um ligamento laminar localizado dentro do canal vertebral, disposto na porção posterior dos corpos vertebrais. Sua estrutura ainda possui aspecto mais largo e uniforme, com nível torácico inferior.
coluna

A coluna como um todo possui regiões classificadas em cervicais, dorsais ou torácicas, lombares, sacrais e coccígeas.

 - entre os arcos vertebrais:
  • Ligamento amarelo – expansões que conectam a face anterior da lâmina superior com a face posterior da lâmina vertebral adjacente inferior. O nome se dá por causa da formação de seu tecido elástico amarelo, largos, finos e longos na região cervical, mais espessos na região torácica.
  • Ligamento interespinhal – se inicia no ligamento da nuca, entre a porção estabilizadora, no osso occipital e as apófises cervicais, se ampliando para as apófises sacras, tendo sua porção contínua.
  • Ligamento intertransversário – encontra-se na base lateral da coluna vertebral, podem fazer a interligação das apófises transversais.
  • Ligamento Cruciforme: formado por ligamentos superior, transverso e inferior, está localizado na base do crânio, tem função de comunicar-se com as fibras do ligamento alar.
  • Ligamento Costo transverso e Ligamento Radiado: unem a costela com o corpo vertebral às apófises transversas, o resultado da superposição de todos as vértebras se dá o canal vertebral, onde está a medula espinhal.

Anatomia da mão

Anatomia da mão é constituída de ossos e músculos, propriamente divididos para manter a normalidade funcional da mão, para que sejam realizados os movimentos necessários, desde os dedos com a extensão da palma ao pulso.

A mão de um ser humano basicamente se divide em três partes: carpo, metacarpo e dedos que também são chamados de quirodáctilos, o polegar juntamente com os dedos opostos. A nomenclatura dos mesmos são dedo indicador, dedo médio, dedo mínimo, dedo anelar e o dedo polegar.

Os ossos da mão são classificados em:

  • Metacarpais I, II, III, IV e V: Cabeça e base
  • Falanges proximal, média e distal: base, corpo, cabeça e tuberosidades das falanges distais.
ossos da mão

Os ossos são órgãos formados pelo tecido conjuntivo, que unidos constituem todo o esqueleto.

Ossos dos dedos apresentam 14 falanges:

Do 2º ao 5º dedos:
Proximal – 1ª falange
Média – 2ª falange
Distal – 3ª falange

Polegar:
Proximal – 1ª falange
Distal – 2ª falange

Já os ossos do pulso são oito dispostos em duas fileiras –

  • lateral para medial: Escafoide, semilunar, trapezoide, piramidal, capitato, pisiforme.
  • lateral para medial: Trapézio – tuberosidade do osso trapézio, trapezoide, capitato, hamato.
músculos das mãos

A inserção proximal também é considerada como retináculo dos músculos flexores e tubérculos do escafoide e trapézio.

Os músculos da mão são divididos por região:

  • Região Palmar Lateral (Tenar) – Abdutor Curto do Polegar, Flexor Curto do Polegar, Oponente do Polegar, Adutor do Polegar.
  • Região Palmar Medial (Hipotenar) – Palmar Curto, Abdutor do Mínimo, Flexor Curto do Mínimo, Oponente do Mínimo.
  • Região Palmar Média (11 Músculos) – Lumbricais, Interósseos Palmares, Interósseos Dorsais.

Ainda compõe de músculos tenares que formam a eminência tenar na face lateral da palma da mão responsável pela oposição do dedo polegar. Ao contrário dos músculos hipotenares, os quais formam a eminência hipotenar na face medial da palma da mão e possui a função de mover o dedo mínimo.

Os músculos extrínsecos são provenientes do braço e antebraço e acabam se estendendo até a mão através dos tendões. Os músculos curtos da mão tem a função de abduzir os dedos, ou seja, ajudam a fazer os movimentos de separação de cada dedo. São os seguintes:

Interósseos dorsais num total de quatro;
Inervação como ramo profundo do nervo ulnar;
Inserção Proximal são os lados de dois metacarpais;
Inserção Distal são as bases das falanges proximais dos dedos 2-4 e também as expansões extensoras.